O melhor de mim | Resenha do Filme

17 agosto 2017
É muito incomum eu trazer resenhas de filmes para vocês, mas ontem assisti O melhor de mim, filme baseado no livro de mesmo título do autor Nicholas Sparks, que vocês com certeza devem conhecer. Eu gostei muito da obra porque também li o livro há muitos anos, e por isso vim compartilhar com vocês minha opinião a respeito dela.
Direção: Michael Hoffman
Ano: 2014
Nota: 
Sinopse: Amanda e Dawson se apaixonaram perdidamente na primavera 1964. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Separados pelo destino, cada um seguiu o seu caminho até que, após 20 anos, um encontro inesperado traz à tona sentimentos que estavam perdidos no passado.
O Melhor de Mim inicia-se com a explosão na plataforma de petróleo que quase acaba com a vida de Dawson Cole (James Marsden), mas por um milagre, ele conseguiu sobreviver. Assim que é liberado do hospital, ele recebe a notícia que Tuck, uma das pessoas mais queridas para Dawson acaba de falecer. Precisando voltar para sua cidade natal, ele reencontra Amanda Collier (Michelle Monaghan), uma antiga namorada do colégio, que está lá pelo mesmo motivo.

Amanda está casada e tem um filho, mas mesmo que sua vida pareça perfeita, ela tem seus problemas. Assim como Dawson que nunca  a esqueceu mesmo após o término deles. O filme então relembra aos poucos o romance dos dois quando ambos tinham 17 anos com todos os infortúnios que a família de Amanda colocava na relação por ser rica demais e achar que Dawson não era o melhor para ela, assim como a família dele que era igualmente perigosa. Em paralelo a isso, os dois vão relembrando esses momentos especiais que tiveram quando acabam se reaproximando outra vez. Mas será que eles podem dar uma segunda chance a esse amor?
Como disse acima, eu adorei a adaptação do livro e pelo que me lembro ele segue 95% igual ao enredo original. O que eu achei meio estranho foram as escolhas de atores para interpretar Dawson, já que quando ele era mais velho, é o James Marsden que interpreta ele, agora na adolescência, quem aparece é o Luke Bracey, que não lembra nem um pouco o outro ator. Pareciam dois personagens distintos ao longo do filme, mas mesmo que não tenham algum parentesco físico, eu acabei adorando a atuação do Luke e do James, e até mais do Luke porque ele representou muito bem o desajustado que Dawson deveria mostrar-se em meio a família problemática. Parece muito com Diário de Uma Paixão, mas é a partir do meio para o fim que as mudanças com a outra história se mostram mais aparentes.
Não tenho do que reclamar das atrizes que interpretaram a Amanda, até porque elas sim realmente se parecem fisicamente, mas é notável que os protagonistas adolescentes encantaram muito mais do que os de 20 anos após o término do namoro. Me senti muito mais cativada por eles.

O romance é lindo, e como vocês sabem que Nicholas não dispensa um belo drama, podem preparar o lencinho para chorar muito. Eu fiquei anestesiada pela obra e adorei tudo! Como comentei antes, ela seguiu fielmente todos os aspectos importantes do livro, o que já me ganhou pontos. Se você gosta de filmes românticos para desidratar de tanto chorar, esse é o filme certo para você.

8 desenhos animados que eu era viciada na infância!

16 agosto 2017
Oi gente, como vão?! Ontem voltando pra casa eu estava conversando com um amigo meu da faculdade sobre alguns livros e filmes, GoT e desenhos animados da nossa infância. E isso me fez relembrar vários desenhos que eu simplesmente amava quando era mais nova, aqueles que passavam no SBT ou na Globo mesmo e me fazia uma criança mais feliz. Eu sei que não sou tão velha assim, mas tem realmente muita coisa boa de dez anos pra cá. Por isso e até mesmo por motivos de nostalgia, resolvi falar de alguns deles que eu simplesmente amava assistir quando era mais nova e que marcou minha infância. Será que vocês vão conhecer algum desses?


Três espiãs demais
Quem não amava esse desenho?! O simples fato de existir três amigas legais já era maravilhoso, imagina só três amigas legais que ainda eram espiãs. Na minha mente, eu era a Alex por ser morena e etc, mas também era super apegada a Clover e a Sam e meu sonho de consumo era os apetrechos que elas tinham para resolver os mistérios. No fundo no fundo, eu nunca quis ser uma administradora e sim uma espiã, mas a vida é dessas que dá um tapa na nossa cara e até hoje a CIA nunca veio me pedir ajuda :/


Super Choque
AHHH, QUE SAUDADES!! Eu adorava assistir Super Choque antes de ir pra escola e achava muito divertido a vida de herói do Virgil, mas o que mais impressionava é que ele era o primeiro herói negro que tinha sua própria história, isso sim me chamava muita atenção quando eu era mais nova. Acho muito difícil encontrar alguém que não curta esse desenho hoje em dia, vocês gostam?


Danny Phantom
Eu curtia muito Danny Phanton porque ele é dos mesmos criadores de Os padrinhos Mágicos, então os traços dos desenhos são os mesmos, sem contar que eu tinha uma espécie de tara pelo Danny porque eu achava ele incrivelmente bonito haha achei muito triste quando o desenho parou de passar, mas bem que podiam fazer um filme sobre ele, né?

Volúpia de Veludo (Série As Modistas #3) - Loretta Chase | Resenha

13 agosto 2017
Sinopse:  Simon Fairfax, o fatalmente charmoso marquês de Lisburne, acaba de retornar relutantemente a Londres para cumprir uma obrigação familiar.
Ainda assim, ele arranja tempo para seduzir Leonie Noirot, sócia da Maison Noirot. Só que, para a modista, o refinado ateliê vem sempre em primeiro lugar, e ela está mais preocupada com a missão de transformar a deselegante prima do marquês em um lindo cisne do que com assuntos românticos.
Simon, porém, está tão obcecado em conquistá-la que não é capaz de apreciar a inteligência da moça, que tem um talento incrível para inventar curvas – e lucros. Ela resolve então ensinar-lhe uma lição propondo uma aposta que vai mudar a atitude dele de uma vez por todas. Ou será que a maior mudança da temporada acabará acontecendo dentro de Leonie?
Volúpia de veludo, terceiro livro da série As Modistas, é uma história de amor envolvente, com personagens femininas fortes e determinadas que transitam com perfeição entre o romantismo e a sensualidade.
Romance de época | 320 páginas | Editora ArqueiroNota: 

Leonie é a terceira e mais nova irmã da famosa família de modistas Noirot. Ela é dedicada a finanças da loja, assim como sua irmã mais velha Marcelline cria os vestidos e sua irmã do meio, Sophie, foca na publicidade da loja. Para Leonie, os negócios vem em primeiro, segundo e último lugar, sem exceções. 

Mas parece que as regras da mais jovem Noirot não se aplicarão a Simon Fairfax, o marquês de Lisbourne, que acabou entrando na vida de Leonie com o intuito de tirar ela dos eixos. Os dois acabam fazendo uma aposta: Leonie terá até o fim do mês para transformar Gladys Fairfax, uma das primas de Lisburne, em um partido para a roda casamenteira e ela deverá receber ao menos um pedido de casamento para que o quadro de Botinelli, Vênus e Marte, seja de Leonie.

Mas ter que lidar sozinha com a loja enquanto suas irmãs tem deveres sociais que vieram com o casamento a cumprir não se mostra uma tarefa fácil, e talvez Leonie não seja capaz de resistir ao incrível Simon sozinha.
Foto por Leitora Encantada

MINHA OPINIÃO


Depois de um tempinho que li o segundo livro da série As Modistas, enfim consegui finalizar Volúpia de Veludo, que conta a história da ruiva Leonie, a responsável por fazer a contabilidade da Maison Noirot. E já posso dizer para vocês que este livro se tornou um dos meus queridinhos, junto com Sedução da Seda, o livro que conta a história de Marcelline.

Neste livro teremos menos participação das duas irmãs, menos ainda de Sophie, que acabou saindo de Londres devido ao escândalo que ela se meteu com uma de suas criações no segundo volume, Escândalo de Cetim. Ou seja, o livro é mais focado em Leonie e em seu trabalho na loja, com as costureiras e com as incontáveis aparições de Simon.
Foto por Leitora Encantada
Leonie se sente cada vez mais sozinha sem a ajuda das irmãs, ela sabe que quando ambas se casaram, era inevitável que a loja passaria para segundo plano, mas para ela, isso nunca acontecerá. Em uma das tentativas de chamar atenção da alta sociedade, ela acaba indo ao museu de arte e conhecendo lá Simon, o marquês de Lisburne, um homem igualzinho ao deus Marte, de olhos azuis e cabelo encaracolado. 
Foto por Leitora Encantada
Este, por sua vez, acaba ficando encantado com Leonie, a linda ruiva cheia de curvas a sua frente. Ao saber que ela é modista, Simon logo pensa que Leonie se trata de uma mulher experiente, e por isso trata a de seduzir. Assim, ele passa todos os momentos possíveis esbarrando com ela, e agora sente que precisa ajudar as moças da Sociedade das Costureiras. Para isso, ele e seu amigo, o visconde de Swanton, que é um renomado poeta, resolvem fazer uma arrecadação, mas que dá incrivelmente errado, fazendo com que a reputação da loja e da sociedade fiquem machadas.

Tag Feitiços Literários

11 agosto 2017
Oi gente!
Vim trazer uma tag muito legal que vi no blog Viciadas em Livros essa semana. A tag é bem divertida e foi inspirada em Harry Potter, então já podem saber o quanto eu gostei dela! Vamos lá?


Expecto Patronum - um livro de infância relacionado com boas lembranças;

Foto por Youtube
Quando eu era criança eu não era muito de ler livros, meu vício realmente estavas nos gibis da Turma da Mônica. Eu praticamente devorei todos os volumes disponíveis da biblioteca da minha escola e gostava muito da facilidade das histórias serem apresentadas. Tenho uma saudade imensa desses gibis ❤


Expelliarmus - um livro que te surpreendeu

Foto por Karin Paredes
E se for você? foi um daqueles livros que comecei a ler despretensiosamente e de repente, me vi totalmente presa na história. A Rebecca tem uma escrita viciante e eu me surpreendi muito com as reviravoltas desse livro.


Priori Incantatem - o último livro que você leu

Foto por Leitora Encantada
Cartas para uma falsa dama foi minha mais recente leitura, que começou muito bem mas infelizmente pecou no final. Mesmo assim indico para quem curte romances de época.

Alohomora - um livro que te fez abrir as portas para um gênero anteriormente desconhecido.

Foto por Bianca Branco
Sempre que posso estou indicando Puros da Julianna Baggot para vocês, mas é porque vocês não tem ideia do quanto amei esse livro. Foi meu primeiro contato com as distopias e confesso que foi uma das únicas que realmente me cativaram.

Riddikulus - um livro engraçado que você tenha lido.

Foto por Leitora Encantada
Partiu vida nova foi um livro muito divertido e que teve grande impacto sobre mim pois consegui ver uma personagem que realmente conseguiu enfim crescer e seguir em frente. Mas para isso, Mariana ainda passou por muitas situações hilárias e bem diferentes.

Cartas para uma falsa dama - Carol Townend | Resenha

10 agosto 2017
Sinopse: Ainda recém-casado, o conde Tristan deixou sua esposa para defender o ducado da Bretanha. Dois anos se passaram desde a última vez que Francesca vira o belo rosto do marido. Durante todo esse tempo, ela escreveu incessantemente para Tristan, mas não recebeu resposta. Nem mesmo após descobrir que não era a filha verdadeira do conde Myrrdin. Aflita, ela esperava receber o pedido de anulação do casamento a qualquer momento. Porém, quando Tristan retorna, Francesca percebe que não é a única assombrada por segredos do passado.
Romance | 295 páginas | Editora Harlequin Books | Nota: 4/5

Francesca aos 16 anos se casou com o conde Tristan des Iles, mas após ele ter sido chamado para um trabalho diplomático em nome da Duquesa, ele e Francesca nunca mais se viram. Somando o fato de Francesca ter descoberto não ser a filha legítima do conde Myrrdin, ela acabou indo embora da Bretanha por não achar que ali seria mais o seu lugar.

Há dois anos Francesca constantemente envia cartas ao marido que são igualmente ignoradas. Sua maior suspeita é que agora não sendo mais uma lady da sociedade, ele queira pedir a anulação do casamento pois casou-se com ela com a esperança de um dia herdar as propriedades de Myrrdin. Até que em um certo baile, Tristan não só volta para casa como diz que tem notícias importantes para Francesca: aquele homem que sempre considerou seu pai está morrendo.
Foto por Leitora Encantada
Eles agora precisam voltar a Bretanha antes que o pior aconteça mas mesmo que Tristan tenha chegado disposto a pedir a anulação do casamento, lembrar-se das poucas semanas de casado ao lado de Francesca sem toma-la para si requer um grande esforço. E pior, Tristan tem outros segredos que não poderá revelar a sua bela esposa assim como há alguém querendo fazer mal a ela com a esperança de atingi-lo. 

MINHA OPINIÃO


Sabe quando um livro começa mostrando uma história maravilhosa e muito bem construída, mas no final acaba se perdendo? Senti isso quando lia Cartas para uma falsa dama. Apesar dos personagens terem sido bem desenvolvidos ao longo da trama, quanto mais eu ia chegando ao ápice da leitura, mais via falhas com o desenvolvimento do fim da história. Calma, não desanime que eu vou explicar!

Um amor de detetive (Série Família Colshannon #1) - Sarah Mason | Resenha

09 agosto 2017
Sinopse: Neste divertido romance de estréia de Sarah Mason, Um amor de detetive, os opostos se encontram e - como não poderia deixar de ser -, também se atraem. A bela Holly Colshannon é uma ambiciosa e desastrada jornalista da Bristol Gazette. James Sabine (apenas um pouco mais bonito que ela), é um sargento-detetive durão, grosseiro e ressentido. Levados pelo acaso , eles se encontram diversas vezes por conta de uma série de coincidências bastante oportunas. Rapidamente, a determinada Holly vê em James a grande chance de progredir em sua carreira e decide segui-lo por um período de seis semanas a fim de escrever uma coluna criminal, que poderá vir a ser o seu primeiro sucesso jornalístico. O lado positivo da situação é que ela consegue obter a tão sonhada coluna. O lado negativo é que o bonitão não está nem um pouco feliz com a presença constante de Hally em sua vida.
Chick-lit | 336 páginas | Editora Bertrand Brasil | Nota: 5/5

Holly Colshannon é uma das repórteres do jornal local Bristol Gazette. Desde que começou a trabalhar lá, ela sempre cobria colunas que ninguém queria cobrir, mas sua sorte parece que está para mudar, ou talvez não. Há uma nova vaga para a coluna policial, o problema é que a relação da polícia de Bristol com a imprensa não é nada boa e tudo parece piorar quando Holly conhece o sargento-detetive James Sabine, que não está nada satisfeito em ter essa moça destrambelhada em seu encalço.

Holly ficará seis semanas registrando o trabalho do detetive, assim como terá seis semanas para que ambos deixem as diferenças de lado e passem a melhor interagir. Mas mesmo que James seja incrivelmente lindo e dono de um porte de dar inveja, ele não está disposto a facilitar em nada a vida de Holly. Será que ambos irão conseguir se controlar ou o cupido terá que entrar no meio e dar uma forcinha?
Foto por Leitora Encantada

MINHA OPINIÃO


Esse é meu segundo contato com a autora Sarah Mason. Li um outro chick-lit dela que infelizmente não foi tão bom quanto este, então estou bem animada com esta resenha porque li Um amor de detetive com diversas ressalvas e no fim, fui surpreendida positivamente pela obra.

Primeiro ponto que devo comentar com vocês é que o livro não tem tanto foque no romance, acho que é algo que vários chick-lits britânicos tem. Ele está mais focado na coluna de Holly no jornal e no trabalho de seis meses dela como detetive. E acho que foi justamente por ter esse enfoque maior no trabalho de ambos os personagens que me fez gostar mais da história. Não é como se você fosse ver dois personagens com uma grande atração logo no começo da história, longe disso, James e Holly simplesmente não bateram o santo e constantemente vivem brigando, e é ao longo dessas seis semanas, com o convívio entre eles que um possível romance pode acontecer.
Foto por Leitora Encantada
Mas é claro que haverá alguns empecilhos como o fato de Holly ter um namorado jogador de rugby chamado Ben, e James está prestes a se casar no fim do mês.