Logo



Posts Recentes

Minha primeira experiência com doramas

18 setembro 2017

Tem uma galera, principalmente meninas, do meu Facebook que simplesmente amam doramas e ficam horas assistindo esses programas, mas como já fui apaixonada por mangás, uma fase que vergonhosamente não me orgulho muito, eu nunca me interessei de fato para saber bem o que era. Se você também não sabe do que estou falando, aí vai uma definição sobre doramas:
...também nomeado como dorama ou j-drama, é a designação dada aos dramas televisivos em língua japonesa realizados pela televisão do Japão. Todas as principais redes de televisão do país produzem uma variedade de séries dramáticas, incluindo romance, comédia, histórias de detetive, horror dentre outros.
Porém, há um tempo atrás estava vendo alguns vídeos sobre Gossip Girl, e acabei vendo um trailer de um dorama chamado Destiny to you, e eu fiquei tão curiosa a respeito da história que resolvi procurá-la para assistir. Pena que o trailer que vi é um teaser que ainda irá lançar esse ano, mas como Fated to love you (nome original) já teve vários remakes, resolvi assistir esse feito pela galera coreana.

A doce, esforçada e tímida Kim Mi Young (Jang Nara) tem muito pouco quando se trata de educação, beleza ou saúde. Mas tudo muda em uma fatídica noite de amor acidental com o mimado e rico herdeiro da empresa da família Lee Gun (Jang Hyuk). Sua insignificante existência se transforma completamente quando descobre que está grávida e que deve entrelaçar sua vida à dele em um casamento às pressas. O casal decide tirar o melhor da má situação, porém quando Lee Gun começa a mostrar sua afeição crescente por Kim Mi Young, seu primeiro amor volta à cena para reivindicar sua posição.
Basicamente a história fala sobre a noite de amor acidental da desinteressante Kim Mi Young e o CEO de uma empresa, Lee Gun. Mi Young acaba engravidando e por isso se casa com Gun. Gun ama Se Ra, uma bailarina profissional e era ela que ele queria pedir em casamento, mas a convivência com Mi Young vai mudando seu jeito de pensar. Porém, a história dá uma guinada de 360º graus e ambos acabam se separando.

Fated to love you pode ser visto de duas partes, já que a primeira é quando os personagens principais se vem casados e a segunda é três anos após isso. A sinopse pode parecer meio boba, mas há realmente um drama aqui e uma história mais profunda. É feita pra chorar, ao mesmo tempo que matar o telespectador de tanta fofura.
Como nunca tinha assistido um dorama, achei tudo meio dramático e exagerado demais. É tudo muito fofo e ao mesmo tempo idiota. As ações e interpretações dos atores são MUITO aquém das possibilidades. Enquanto Gun é engraçado, um pouco idiota e tem uma risada assustadora, Mi Young é meio bobinha e muito tímida. É um casal bem impossível, mas é claro que eles acabam encantando o coração de quem os assiste. Eu devo dizer que acho estranho esse "recato" por parte das orientais, elas fingem uma timidez tão grande que é impossível acreditar que isso possa existir na vida real. Além disso, os homens são estranhos (ao menos no dorama) e até o jeito deles de falar consegue soar diferente e bizarro. Fico me perguntando se eles são realmente assim ou se só pintam essa característica para fazer os animes/programas de TV.
A história em si é bem legal. É fofo ver ambos os personagens se aproximando e eventualmente se apaixonando, mesmo que demore 10 episódios para eles darem um beijinho sequer, e olha que foi um beijo que eu daria na minha avó de tão sem graça. Acho que senti falta de momentos sensuais na trama, de momentos do dia a dia que a maioria dos casais fazem hoje em dia - eu nem sei se existem doramas assim mas se tiverem, me dê uma indicação aí nos comentários *como disse, esse recato das orientais é muito estranho*.

Eu amei a Mi Young, ela é muito amorzinho, daquelas que dá vontade de apertar a bochecha de tão fofa. E gente, pensa numa menina que come! Acho que nunca vi uma personagem comer tanto que nem a Mi Young. Já Gun é muito idiota, meu Deus, mas ele com certeza é um personagem cômico, que traz uma graça diferente ao programa.
O final foi bem fofinho, teve momentos que realmente me emocionei com a obra e outras vezes achava que ela poderia ter tido bem uns dois episódios a menos, mas no fim gostei de tudo. Foi uma primeira experiência muito boa para quem realmente não curtia nada além de animes e mangás, e quero muito poder assistir outras, então quem gosta e quiser me indicar algum bem legal, fique a vontade.

Geekerela - Ashley Poston | Resenha

17 setembro 2017

Um divertido romance que traz a clássica história de Cinderela para os dias de hoje.
Quando Elle Wittimer, nerd de carteirinha, descobre que sua série favorita vai ganhar uma refilmagem hollywoodiana, ela fica dividida. Antes de seu pai morrer, ele transmitiu à filha sua paixão pelo clássico de ficção científica, e agora ela não quer que suas lembranças sejam arruinadas por astros pop e fãs que nunca tinham ouvido falar da série. Mas a produção do filme anunciou um concurso de cosplay numa famosa convenção valendo um convite para um baile com o ator principal, e Elle não consegue resistir. Na Abóbora Mágica, o food truck vegano onde trabalha, ela encontra a ajuda de uma amiga cheia de talentos para moda que vai criar o traje perfeito para a ocasião. Afinal, o concurso é a chance de Elle se livrar das tarefas domésticas impostas pela terrível madrasta e das irmãs postiças malvadas.
Já Darien Freeman, o astro adolescente escalado para ser o protagonista do filme, não está nada ansioso para o evento, embora o papel seja seu grande sonho. Visto como só mais um rostinho bonito, o próprio Darien também está começando a achar que se tornou uma farsa. Até que, no baile, ele conhece uma menina que vai provar o contrário.
Esta releitura de Cinderela transporta para o universo nerd os principais elementos do clássico conto de fadas, fazendo uma verdadeira homenagem a todos aqueles que sabem o que é ser fã e se dedicar de coração àquilo que amam.
Ficção, romance, fantasia, jovem adulto | 384 páginas | Editora Intrínseca | Nota:

Danielle Wittimer sempre foi uma criança sonhadora, inspirada pela série Starfield, que mudou não somente sua vida, mas a de seus pais. E depois que seu pai morreu, deixando Elle na custódia de Catherine, sua madrasta até que complete 18 anos, é a série de ficção que sempre a mantém de pé. Ela trabalha na Abóbora Mágica, um food-truck vegano com Hera, uma garota lésbica de cabelos verdes e cheia de atitude, mas que até agora não estendeu uma bandeira de amizade para Elle.

Elle está animada porque depois de muito tempo Starfield vai ganhar um remake, e ela não vê a hora de comentar sobre o elenco principal no seu blog intitulado Artilharia Rebelde. Mas assim que ela descobre que o personagem principal Carmindor, será interpretado pelo galã-mirim Darien Freeman, ela já não está tão animada assim, pior, ela se sente ultrajada. Como podem colocar um garoto que mal deve ter assistido a série para interpretar alguém que salva a galáxia?
Foto por Leitora Encantada
É aí que ela resolve participar de um concurso de cosplay que acontecerá em um dos maiores eventos sobre Starfield, e assim poderá concorrer ao prêmio de $500 dólares, e quem sabe se ver livre de sua madrasta e as meias-irmãs.

Uma tag para quem ama signos

16 setembro 2017

Não, eu não amo signos apesar do título, mas apesar de não acreditar nesta coisa de astros, horóscopo e afins, eu leio muito algumas características dos signos porque acredito que há algumas coincidências, principalmente em relação a mim que sou geminiana. Enfim, vi essa tag no blog do Queria estar lendo, e ela foi originalmente feita pela Lu, do Balaio de Babados. Como nunca resisto a uma tag, resolvi fazê-la e você fica a vontade para poder respondê-la também.

Áries - Um personagem esquentadinho

Fiquei meio assim "Que?", mas aí lembrei de Judy Rider, o bad boy de Crash. Além dele ser o típico bad boy cheio de problemas com a lei e a justiça, ele também arranja qualquer briga se sua namorada, Lucy, acabar caindo nas gracinhas de alguém.

Touro - Um personagem comilão

Estou ficando velha porque só consigo pensar na Magali. Sério, na minha mente não veio nenhum outro personagem além desse, então irei ficar devendo para vocês. 

5 livros que comprei e ainda não li 😅

14 setembro 2017

Como eu sou a louca dos livros, toda vez que vejo uma promoção na Amazon, eu parto pras comprinhas, tanto que mês passado comprei 17 livros lá, como comentei com vocês. O problema é que a nossa animação para comprar determinada obra nem sempre é a mesma depois que ela chega em casa, e a gente acaba deixando ele na estante, pegando poeira e no fim, acaba esquecendo de ler a história. Aqui vou citar alguns livros que e acabei fazendo exatamente isso: comprei e acabei não lendo as obras.

Comprei esse livro em uma promoção de aniversário da editora, e ele chegou rapidamente a minha casa. Apesar da capa e da história serem fantásticas, quando vi a grossura do livro (são 464 páginas), eu acabei desanimando um pouquinho na hora de começar.
Aos 19 anos, Duda é literalmente viciada na saga Crepúsculo. Já perdeu a conta de quantas vezes leu os livros da série e assistiu aos filmes. Através de um perfil secreto na internet, ela se comunica com outras fãs do Crepúsculo que, assim como ela, estão totalmente convencidas de que não há garoto no mundo que valha um dente canino do vampiro Edward Cullen.
Sua obsessão ganha fôlego com uma temporada de estudos em Nova York, onde ela faz planos mirabolantes para conhecer pessoalmente Robert Pattinson, o ator que interpreta o vampiro nos cinemas. Mas, após um incidente com seus únicos (e insubstituíveis!) livros da saga, Duda entra em verdadeiro surto de desespero. Percebe, então, que uma mudança radical em seu comportamento “crepuscólico” é mais do que urgente.
O que ela não esperava era conhecer Miguel Defilippo, seu vizinho na ilha de Manhattan, que é a cara do ator Robert Pattinson! Apaixonante, lindo, rico, misterioso e ambíguo, Miguel acaba se tornando um desejo mais inacessível para Duda do que o próprio astro de Hollywood.

Recebi Azar o seu! numa troca no Skoob, mas como ainda estava com aquela ressaca chata pra caramba no final de Junho, acabei começando a obra e abandonando, porém pretendo voltar.
Bia está parada num engarrafamento no Rio de Janeiro, pensando em sua vida azarada. Sem emprego, atolada em dívidas, ela não imagina que está prestes a viver a grande coincidência da sua vida. O motorista do carro ao lado está buzinando, tentando se comunicar com ela, como se fosse um velho conhecido... E ele é! Mas Bia não o reconhece. E como poderia? Ele é um homem, não mais o garoto de dez anos atrás. Está mais encorpado, cortou o cabelo, livrou-se do aparelho nos dentes e das espinhas do rosto, está tão diferente, tão lindo...
O motorista sai do carro, mas não tem tempo de se explicar, pois começa um violento tiroteio e eles têm que se jogar lado a lado no asfalto. Certa de que está prestes a morrer, Bia entra em desespero e se prepara para dizer suas últimas palavras, na esperança de que o suposto desconhecido deitado ao seu lado possa levar um recado a Guga, seu amor da adolescência, sem perceber que é ele próprio que está ali, ouvindo a inesperada declaração de amor!
Os dois escapam juntos do tiroteio e, a partir daí, começam a se envolver, dia após dia... Guga, sem coragem de assumir sua verdadeira identidade. Bia, fascinada por ele e feliz consigo mesma por finalmente estar se apaixonando por alguém que não é Guga...


Sabe quando você sabe que um livro vai destruir seu coração? Comprei Mil beijos de garoto já tem quase dois meses mas ainda não tive coragem de ler porque sei que vou acabar despedaçada no final da obra, e ainda não estou preparada psicologicamente para isso. 
Um beijo dura um instante. Mas mil beijos podem durar uma vida inteira. Um garoto. Uma garota. Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década. Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper. Um vínculo que vai durar para sempre. Ao menos era o que eles imaginavam. Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação.

O mesmo acontece com Por lugares incríveis. Comprei o livro na maior expectativa de ler, mas como minha irmã leu antes de mim, ela me soltou um spoiler daqueles do final e eu fiquei arrasada. Ainda não estou preparada para passar por isso também.
Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

Eu fui no lançamento desse livro da Teca, onde a conheci pessoalmente, e adorei a história que ele prometia trazer. O problema é que eu comecei a ler e não curti muito a personagem principal. O pai dela tinha sido preso e mesmo com tudo dando errado, ela não demonstrava nenhum sinal de estar preocupada com ele. Hello! Talvez ela até tenha mostrado isso mas isso não foi transparente pra mim, por isso resolvi dar um tempo na leitura e voltar quando estiver mais propensa a gostar dos personagens. Acabei esquecendo!
Com o pai milionário encrencado com a justiça brasileira e boa parte de seus bens bloqueados, Ana Helena precisa aprender a viver com pouco dinheiro. Para ficar fora dos holofotes da imprensa, seu pai a manda para fora do país. O destino? Paris. Peraí! Mas como viver sem dinheiro em Paris? Não tem jeito! Arles, pacata cidade do interior da França, acaba sendo a alternativa mais modesta. Mas a tranquilidade dessa charmosa cidade logo dá lugar a um turbilhão de acontecimentos envolvendo um novo amor, obras de arte, muito dinheiro e homens tão ambiciosos que farão de tudo para colocar as mãos no que desejam.
A grande aventura leva Ana Helena de volta a Paris, com perseguições pelas ruas da Cidade Luz, romance, muita ação, dramas e reviravoltas surpreendentes.
O que você faria para salvar um grande amor e alguns milhões de Euros?
E aí, tem algum livros que vocês também compraram super animadas mas acabaram, por algum motivo,  se esquecendo de ler?

Beije minha alma - Susan Mallery | Resenha

13 setembro 2017

Fool’s Gold, a cidade mais romântica da Califórnia, é o local perfeito para o encontro entre uma garota totalmente urbana e um cowboy bem rústico. Depois de passar maus bocados por ter sido boazinha demais, Phoebe Kitzke jura nunca mais fazer favores para ninguém. Mas a promessa só dura até Maya, sua melhor amiga, implorar para Phoebe ficar um tempo no rancho de sua família e ajudar a resolver um pequeno problema na forma de um cowboy alto, sexy e bastante mal-humorado. Zane Nicholson não se entusiasma nem um pouco ao saber que será o anfitrião de uma garota da cidade que nunca montou em um cavalo. Só que ele não tem alternativa. Afinal, além de Phoebe, Zane terá que dar conta de um grupo de turistas que comprou um passeio de comitiva vendido por engano no site fictício criado por Chase, seu irmão caçula. Mesmo sabendo que Phoebe fora enviada por Maya para salvar a pele de Chase, seu jeito doce e engraçado acaba conquistando o coração de pedra de Zane, o homem mais difícil de Fool’s Gold. E a medida em que os dias passam e a comitiva avança, se torna cada vez mais palpável a atração que existe entre os dois. Nos braços de Zane, Phoebe se esquece completamente da vida urbana e se sente uma garota do campo. Mas ainda que esteja certa de que Fool’s Gold é o seu novo lar, Phoebe precisa ter a garantia de que Zane será somente dela… Em “Beije minha alma”, Susan Mallery, uma das autoras de romance de maior sucesso da atualidade, presenteia seus leitores com mais uma história leve, de humor aguçado e que prende a atenção da primeira à última página.
Romance | 272 páginas | Editora HarperCollins Brasil | Nota:

Zane Nicholson é um cawboy nato e tem um racho na pequena e acolhedora cidade de Fool's Gold. Com muito esforço, ele conseguiu com que o lugar desse lucro apesar dos tantos prejuízos na época em que o herdou. Tendo criado Chase, seu irmão mais novo, praticamente sozinho, Zane quer fazer com que ele seja um homem direito e por isso, ele ás vezes é muito duro com o garoto, que só tem 17 anos. 

Chase faz muitas besteiras e em uma delas, ele acabou colocando um anúncio de férias no site do rancho, oferecendo no pacote uma viagem com a comitiva de gado do local. O problema é que o que era para ser um trabalho de escola se transformou em um problemão, já que as pessoas acabaram comprando as tais férias e Chase acabou investindo o dinheiro que recebeu delas na bolsa, e por consequentemente, perdeu.
Foto por Leitora Encantada
Ao invés de devolver o dinheiro e fazer Chase pedir desculpas, Zane resolveu fazer a tal comitiva para Chase aprender uma lição, mesmo que isso oferecesse risco já que as pessoas que compraram as tais falsas férias fossem novatas e totalmente inexperientes com gado. Entre elas está Phoebe Kitzke, amiga da ex-meia irmã de Zane e Chase, Maya. Maya sempre defendeu Chase mas dessa vez concorda que ele foi longe demais e resolve participar também da comitiva para acalmar os ânimos, e pra isso, ela pede a ajuda da Phoebe, que tem um grande coração mole e não resiste ao pedido da amiga.

Cilada para um marquês - Sarah MacLean | Resenha

12 setembro 2017

Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares.
Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela.
No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço.
O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada?
Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam…
Romance | 320 páginas | Editora Gutenberg | Nota:

Sophie Talbot é conhecida pela sociedade por ser uma das Irmãs Perigosas. Elas ganharam o título por sempre estarem se metendo em escândalos para que consigam conquistar um marido, mas diferente das outras que amam a fama, Sophie detesta os apelidos e tudo o que a sociedade representa. Filha de um minerador que acabou ganhando o título de conde, a família Talbot acabou se mudando de vez para Londres, mas mesmo que as minas de carvão tenham transformado todos em pessoas muito ricas, o sangue deles não é aristocrático e a sociedade nunca os verá como um igual.

Após ter visto o Duque de Haven, marido de sua irmã mais velha Seraphina, que por sinal está esperando um bebê dele, aos gracejos com outra moça que não é sua irmã, Sophie parte em defesa da honra dela e joga o Duque dentro de um lago. Mas o ato é discriminado por todos da sociedade, afinal, ele é um duque e pode fazer bem o que quiser. O Duque promete destruir a família de Sophie, e essa, cansada de tudo o que a sociedade vem fazendo com ela e sua família, resolve fugir.
Foto por Leitora Encantada
Quando sai da festa ao ar livre onde estavam, ela acaba vendo o Marquês de Eversley, mais conhecido como Rei, pulando a janela de alguma outra dama. Ela pede carona para ele em sua carruagem até Mayfair, mas Rei conhecendo a reputação das Irmãs Perigosas, acredita que Sophie quer prendê-lo em um casamento e recusa-se a ajudá-la. Mas é claro que a moça não iria aceitar isso facilmente e acaba comprando roupas do criado de Rei para que possa viajar na carruagem. O problema é que a carruagem de Rei não está indo para Mayfair, e sim saindo de Londres, direto para Cumbria.