[Resenha] Fiquei com seu número, de Sophie Kinsella @Record

30 março 2016
Título: Fiquei com seu número
Autor: Sophie Kinsella
Lançamento: 2012
Páginas: 464
Gênero: Chick-lit / Humor / Comédia / Romance
Editora: Record

Sinopse: A jovem Poppy Wyatt está prestes a se casar com o homem perfeito e não podia estar mais feliz... Até que, numa bela tarde, ela não só perde o anel de noivado (que está na família do noivo há três gerações) como também seu celular. Mas ela acaba encontrando um telefone abandonado no hotel em que está hospedada. Perfeito! Agora os funcionários podem ligar para ela quando encontrarem seu anel. Quem não gosta nada da história é o dono do celular, o executivo Sam Roxton, que não suporta a ideia de haver alguém bisbilhotando suas mensagens e sua vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam acabam ficando cada vez mais próximos e ela percebe que a maior surpresa da sua vida ainda está por vir.
É muito normal julgarmos um livro pela capa ou por sua sinopse. Esse livro eu havia visto em alguma livraria assim que lançou mas até então só havia lido a sinopse. Não me interessei muito porque na minha cabeça não parecia um romance em si, apenas uma história de uma tragédia que aconteceu onde a personagem principal passava o livro inteiro tentando resolver. Mas na verdade, o livro me impressionou bastante e virou um dos meus livros favoritos agora. É daquele jeito que você acaba entendendo tudo errado no começo, pede para que no fim dê tudo certo e o final te surpreende e dá aquele gosto de "quero mais". 

Eu nunca havia lido nada da Sophie Kinsella antes desse livro e acabei me apaixonando pela autora. Ela é genial e tem um talento incrível! Nossa personagem principal é Poppy, uma fisioterapeuta que acaba de ser pedida em casamento. O livro é narrado por ela. Poppy é aquele tipo de personagem que tudo começa bem e de repente as coisas começam a dar errado e ela vai se metendo em uma furada atrás da outra. Pois bem, tudo seria a mil maravilhas se ela não tivesse perdido o seu anel de noivado. Isso mesmo! Ela não sabe onde ele está e está desesperada para que alguém o encontre, ainda por cima sabendo que a joia é uma herança da família do seu noivo.

Como se não bastasse, Poppy descobre que seus futuros sogros não gostam dela e não querem que seu filho case-se. Além disso, a família dele é composta por gênios: professores, doutores, palestrantes etc. Toda vez que Poppy tenta falar algo inteligente, acaba se sentindo idiota e mais burra ainda. Seu noivo tenta fazer com que os pais acabem gostando dela, mas é algo difícil, e isso só desespera ainda mais a nossa garota.

Em busca do anel, ela dá seu número para todas as pessoas que estavam no local onde ela perdeu porém por obra do destino, ela acaba sendo roubada e levam o celular. Desesperada, ela fica sem saber o que fazer mas acaba encontrando um celular jogado em uma lixeira perto de onde está e como não sabe de quem é, pega o celular para si. Aí que começa toda a confusão. Em meio aos preparativos do casamento, Poppy conhece Sam, o chefe da "ex-dona" do aparelho. Precisando do celular, Poppy propõe que ela encaminhe todos os e-mails que chegar para ele em troca dela usar o celular e ele concorda. Só que Poppe é mais xereta que qualquer pessoa e acaba lendo todos os antigos e-mails das pessoas que mandaram para Sam e também as respostas dele a esses e-mails.

Sam é um homem seco. Extremamente seco. Geralmente ignora a maioria dos e-mails que recebe e Poppy não consegue entender o porque. Um dia ela resolve responder um e-mail para ele, mas acaba se deixando levar e começa a responder todos os outros, o que acaba a metendo em uma enrascada. Sam fica furioso e não basta por aí, as coisas só começam a piorar.

O livro tem mistério, novas descobertas, um novo romance, suspeitas e um momento de ansiedade. O que me pareceu apenas um romance, acabou se tornando em um livro policial também e um livro de auto-ajuda, visto que eles focam um pouco o estilo de pessoa que Poppy é. Eu adorei o livro justamente pelas reviravoltas e descobertas que você faz durante a leitura, teve horas que quase chorei e passei muita raiva também. Poppy é uma mulher forte mas na verdade é apenas mais uma pessoa insegura pelo mundo como qualquer outra mulher que podemos ver por aí.
"Sei que as coisas ainda são incertas; sei que a realidade não desapareceu. Sempre vai haver explicações e recriminações e confusão."
 O livro é incrível e faz tempo que não tenho lido histórias tão boas e envolventes assim, por isso indico à todos!



0 comentários:

Postar um comentário

Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post.
Aproveite e deixe seu link, para que eu possa retribuir sua visita! ❤