[Resenha] Flor de Cerejeira, de Alana Gabriela @Amazon

14 julho 2016

Título: Flor de Cerejeira
Autor: Alana Gabriela
Lançamento: 2016
Páginas: 315
Gênero: Drama / Infano Junvenil / Jovem Adulto / Literatura Brasileira
Editora: Amazon
*Livro cedido em parceria com a autora
Sinopse: “Qualquer um pode cometer um erro.”Yoko sempre teve uma vida relativamente boa e estável, participava da organização do Festival Cherry Blossom, tinha amigos com quem contar na escola, tocava violino e estava treinando para fazer parte da orquestra da Juventude de Macon quando tudo começou a dar errado. Seu pai se envolveu num grave acidente, que acabou matando um pai de família e, foi parar na prisão. Sem a referência paterna, e com todos os problemas financeiros que se acumulam, o distanciamento da mãe, Naomi, que está a cada dia mais se afundando em trabalho, Yoko vê o que sobejou, de sua família, totalmente desestruturado. Em meio à dor da perda, Yoko conhece Aidan Hirsch, um garoto que parece tão desestruturado quanto ela, taciturno e solitário, e que é capaz, acima de tudo, de não julgar, simplesmente ouvir. Aos poucos, um sentimento singelo e inefável ganha forma, surgindo uma história delicada de autoconhecimento, arrependimento, culpa e superação que poderá mudar a vida desses adolescentes se assim escolherem.
Faz tempo que não leio algo tão tocante e tão verdadeiro como este livro. Já tinha visto resenhas do livro em outros blogs e quando a autora Alana Gabriela resolveu ceder ele para a resenha, fiquei muito feliz e animada, tanto que terminei em menos de dois dias. Aqui não encontramos um romance - claro que ele acontece, mas no momento certo -, a história é na verdade uma drama, regado a superação, recomeço e crescimento.

Yoko é uma adolescente que não tinha nada para reclamar. Tinha amigos e uma família acolhedora e estava indo bem na escola, mas tudo isso muda quando seu pai é preso por atropelar um homem e não prestar socorro, e por subsequente, este homem vir a falecer. Após este acontecimento, as pessoas olham Yoko como se ela também fosse culpada pelo ocorrido, afinal, na mente deles ela é filha de um assassino. Suas amigas se afastaram, na escola ela se senta sozinha e a cada vez mais sua mãe parece distante.
"Chego à conclusão que todos com quem eu andava eram falsos, no momento que eu mais precisava eles não só viraram as costas para mim, como também começaram a me olhar feio e me denegrir porque sou filha de quem sou. Filha de um assassino."
Ela também já foi agredida por uma gangue dos amigos do filho da vítima e constantemente anda com medo de andar sozinha pela cidade. O que me chama atenção no livro é que a autora não retrata sobre a vida da família da vítima, ela retrata a vida da família do acusado, que por muitas vezes nosso senso de "vingança", diferentemente do de "justiça", confunde nossa ética e acabamos julgando eles também. Recentemente em Brasília, aconteceu de um menino de 15 anos matar um garoto de 11, e a família do acusado teve que se mudar pelas constantes ameaças que recebiam dos vizinhos. O que quero dizer que não é certo o que estas pessoas fizeram, mas tentar fazer justiça com as próprias mãos é completamente errado, porque apesar da perda e da dor, a família dele também acabou perdendo alguém e não tem culpa de nada.

Em meio ao caos que a vida de Yoko está, ela sente diversas emoções: raiva, dor, tristeza, fúria pelo pai, afinal, foi ele que matou aquele homem e foi isso que desencadeou as diversas ações contra ela. Também sente que deve algo a família da vítima, pois a cada dia a culpa a corrói. Mas eis que surge alguém que poderá mudar isso e faça com que Yoko enfim caminhe por bons tempos. Aidan é um garoto da escola dela e acidentalmente acaba sendo par de Yoko em um trabalho, e para que isso funcione, ambos terão que se socializar. Mas todos o conhecem pela fama de poucos amigos, pelas brigas que se mete e pelo seu comportamento explosivo. No começo nada dá certo, ele é rude com Yoko e ela se sente mais distante ainda, mas com a convivência e com alguns desencontros que a vida lhe dá, eles acabam criando uma amizade, estranha, porém real.
"Não tem como voltar atrás mais. É como uma página e uma caneta. Assim que você risca fica ali para sempre, mesmo com o corretivo que passa por cima para tentar tapear o rabisco, ele continua lá, imutável, escondido."
Aqui vemos o desenvolvimento de Yoko se fortalecer. Ela é apenas uma garota que está passando por um momento difícil e por diversas vezes me compadeci de sua dor. Aidan por sua vez é muito taciturno, mas é impossível não se apaixonar por ele, pela sua forma carinhosa de tratar Yoko, mesmo que depois de muito tempo. Aos poucos vamos descobrindo mais sobre sua vida, que contém também seus problemas e infortúnios. O que mais gostei foi que Alana não criou Aidan como um príncipe encantado, que salvava Yoko das situações ruins. Ela fez de Yoko uma personagem que precisava vencer suas próprias batalhas e isso deixava a história ainda mais verdadeira. Me apaixonei pela escrita da autora que é leve e sarcástica, mas que não deixa de nos mostrar o drama que é a vida de Yoko. Conhecemos mais sobre a cultura japonesa, a qual eu amo, e apesar do livro não ser tão descritivo, consegui imaginar diversas cenas passadas na cidade, na lanchonete e na escola. 

O livro também aborda temas como agressão física, verbal, transtornos e toda a questão do bullying. A capa está linda e retrata exatamente o livro, as páginas são delicadas e cada começo de capítulo contém um desenho fofo, mas infelizmente o texto não foi revisado e contém muitos erros de português e digitação. Além disso, ele não está justificado, coisa que me incomodou bastante, mas nada que realmente impedisse a leitura. No mais, o livro aborda um tema forte, importante e que muitas vezes não é levado em conta. Por isso, eu realmente indico a leitura para vocês porque sei que ela trará ensinamentos e muitos significados à vida de todos.

Fonte: Entre Livros e Personagens
Comentários
6 Comentários

6 comentários :

  1. Que trama maravilhosa!
    Faz algum tempo que quero ler o livro, apesar de só ter lido a sinopse dele. Depois da sua resenha, minha vontade aumentou.
    Os problemas que a Alana aborda na trama são de mega importância, e quero muito saber esses ensinamentos!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carol. Pois é, eu também me apaixonei pelo livro, a escrita da autora é fluída, envolvente e os personagens cada vez mais cativantes. Você vai adorar a história! Passar raiva com alguns acontecimentos, mas sei que irá amar. Beijo.

      Excluir
  2. Não gosto muito de dramas, mas a trama me pareceu bastante interessante.
    Ótima resenha :)

    no-universo-dos-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro não é extremamente dramático, daqueles que você chora horrores, é bem leve na verdade. É uma delícia para ler!

      Excluir
  3. Oi Miriã, terminei de ler esse livro hoje. Gostei muito e semana que vem vou fazer resenha dele. O que me fez querer ler esse livro primeiramente foi a capa. Mas a história tem seu toque especial né, recomendo para os outros também.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, parece que todo mundo está lendo! É um livro muito legal, não é? Eu amei!

      Excluir

Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post.
Aproveite e deixe seu link, para que eu possa retribuir sua visita! ❤

Sim, eu não sou a louca dos signos mas sou a louca dos templates. Talvez você entre aqui e veja o blog todo mudado, mas o Leitora Encantada é apenas uma extensão dos meus pensamentos, que realmente mudam com o piscar dos olhos. Espero que gostem!

Facebook

Instagram

Lendo no momento

Lendo no momento

Autores parceiros

                                            

Seguidores

Blogroll

  • Arquivos

    Link-me


    Life Style

    Tecnologia do Blogger.
     
    Todos os direitos reservados 2016 - 2017 | Logo por: MIKA CAETANO - Design E Programação: Espalhando Bonitezas